//NOTA DE REPÚDIO
siagespoc - assessoria de imprensa

NOTA DE REPÚDIO

Compartilhe!
O presidente do Sindicato dos Investigadores da Polícia Civil de Mato Grosso – Siagespoc, Cledison Gonçalves da Silva, repudia as retaliações que vêm sendo infligidas ao investigador de polícia MARCOS DA CONCEIÇÃO AMORIM, lotado no Cisc Planalto, por ter denunciado condições de trabalho insalubres, precárias e inadequadas naquela unidade policial.
 
Nós somos testemunhas de que o investigador contou apenas a verdade, pois ao sermos procurados por ele para mostrar o estado das instalações do Cisc Planalto, constatamos a veracidade dos fatos, convocamos a imprensa e denunciamos a situação em uma entrevista coletiva à imprensa.
 
Ninguém podia imaginar, contudo, que a arbitrariedade cometida no Cisc Planalto contra presos e investigadores teria continuidade em retaliação ao policial que contou somente a verdade. Tão logo foi publicada a denúncia, o Dr. Waldeck afastou o policial do cargo que ocupava e o designou para a função de registro de inquéritos, uma atividade própria de escrivão de polícia, não de investigador.
 
Esta é uma situação absurda, que não pode prosperar. Nós denunciaremos o caso à Diretoria Geral da Polícia Civil, ao Ministério Público e iremos às últimas consequências em defesa do policial perseguido por ter falado a verdade. Se o governador Pedro Taques ganhou a eleição prometendo que seria um amigo da verdade, ele não pode permitir que se puna um servidor por ter falado a verdade.
 
O estado não pode adotar a prática de punir quem fala a verdade. Tem que ser punido quem mente, quem vive extorquindo, que vive a margem da lei, e não quem cobra eficiência no serviço público, quem quer oferecer um serviço de qualidade, da forma como merece o cidadão que paga seus impostos e que procura atendimento no serviço público. Afinal, quem fala a verdade não merece castigo.
 
O sindicato agirá para preservar os direitos do investigador que tem sido perseguido por seus superiores.  Já convocamos nossa assessoria jurídica para que sejam tomadas as providências cabíveis.
 
                                                                                          CLEDISON GONÇALVES DA SILVA

                                                                                                  Presidente do Siagespoc  

Fonte: Siagespoc – MT
Edição: 27.10.2016
Crédito Imagens: